14/09/10

'Tv Fama' passa SBT e registra o 3º lugar

O TV Fama exibido na última segunda-feira (13), ao vivo, pela RedeTV!, registrou audiência média de 3,2 pontos, máxima de 4,4 e 6% de participação, segundo dados fornecidos pelo Ibope.

O programa registrou o 3° lugar na média de audiência no período em que foi exibido

"Legendários" estreia novo quadro de luta

O programa "Legendários" traz uma novidade, é a luta de MMA (Artes Marciais Misturadas). Os primeiros competidores serão Miro Moreira e Kleber Bambam.

Coincidência...

Este novo quadro de lutas no programa, que é exibido nas noites de sábado, será lançado praticamente no mesmo horário que a RedeTV! exibia há anos o “UFC Sem Limites”.

A única diferença é que a Record exibirá lutas entre "celebridades", e a RedeTV! exibe apenas verdadeiros praticantes deste esporte.

SBT COMEMORA VICE COM NOVELAS DA TARDE

As novelas da tarde de ontem no SBT ficaram na vice, ou sozinhas ou empatando com a Record.
E as duas nem ficaram tão longe assim da Globo.
Imagina se no lugar das novelas estivessem programas mais envolventes e no lugar da programação da Record tivessem colocado programas mais arrojados.
Encostariam na líder.


-> James Akel

“Programa Hebe”, um formato de qualidade!

Foi no dia 4 de março de 1986 que o “Programa Hebe” estreou no SBT. A maior atração era e continua sendo ela mesma: Hebe Camargo. Toda segunda-feira, no horário nobre, o público já lhe aguarda no toque da tradicional vinheta do programa. Com um carisma espetacular, Hebe Camargo sempre transparece alegria de viver, como sempre afirma. E todo o talento e competência é oferecido ao público nas atrações. O atual diretor do programa Ariel Jacobowitz mantém a qualidade e o formato de gala do programa. Isso mesmo, formato de gala. Todos os seus convidados escolhem o melhor figurino pra não “fazer feio” sem, claro, ofuscar o brilho da rainha da televisão brasileira. O programa traz musicais, grupos teatrais, grandes cantores e cantoras, e convidados para aquele famoso bate-papo.

O “Programa Hebe” está há 24 anos no ar na tela do SBT. Mesmo com baixa audiência, a qualidade continua a mesma. No último programa foram convidados Palmirinha, Vanusa e André Vasco, num papo super interessante. O “Programa Hebe” ensina como se faz um programa com entretenimento inteligene e de classe para toda família brasileira.

Wagner Mendes

SBT registra o nome “Raio e Trovão”

http://www.abril.com.br/blog/chiado/files/2010/05/ana-raio-ze-trovao550.jpg

Sucesso absoluto no SBT, sendo a maior audiência de segunda à sexta da emissora, “A História de Ana Raio e Zé Trovão” é vista com otimismo pelos diretores da casa. Mas, apesar dos bons números, o folhetim da Manchete ainda fica longe da vice-liderança.

O curioso foi um nome registrado pelo canal. O título “Raio e Trovão” foi adquirido pelo SBT, mas ainda não se sabe qual o real motivo. Na emissora, especula-se que o tal nome seja para alguma sátira formada pela equipe do “Programa do Ratinho”.

CNT constrói novos estúdios em São Paulo

A rede CNT investirá mais na produção de sua programação na capital paulista. Desde que a família Martinez retomou a programação da emissora, antes arrendada para o grupo de Nelson Tanure, proprietário do Jornal do Brasil, o canal tem investido na produção de programas próprios a partir dos estúdios de São Paulo. Antes disso, a rede optava por produzir suas atrações a partir das geradoras de Curitiba e do Rio de Janeiro.

Para isso, a CNT está construindo novos estúdios na capital paulista, que deverão ser inaugurados em dezembro desse ano. As novas instalações da emissora estão sendo erguidas no prédio de um velho teatro, localizado no cruzamento entre a Avenida Brigadeiro Luís Antônio e a Rua 13 de maio, que já abrigou no passado os estúdios da extinta TV Tupi.

Além de produção própria, a rede continuará investindo na exibição de telenovelas mexicanas, através de sua parceria com a Televisa.

Mesmo com os investimentos, a audiência da CNT na capital paulista é baixa, beirando o traço, já que seu sinal na cidade é transmitido apenas em UHF.

Fonte: Na Telinha

Vencedora do ‘Ídolos’ está fora de ‘Rebelde’

Thaeme Mariôto venceu a 2ª edição do 'Ídolos', quando ainda era apresentado no SBT. Como êxito na carreira, a garota teve uma música na trilha da .... Foto: Divulgação

Thaeme Mariôto, vencedora da segunda edição do Ídolos, exibido pelo SBT, está fora do elenco de Rebelde, novela musical teen produzida pela Record em parceria com a mexicana Televisa. De acordo com a coluna Telinha, do jornal Extra, a cantora passou por vários testes, mas ficou de fora.

A emissora aposta e muito na novela. Já são 20 atores pré-selecionados para o elenco. Até novembro, quando começam as gravações, serão escolhidos seis para formar o elenco principal. Chay Suede, o último eliminado da terceira temporada de Ídolos, agora exibido pela Record, é um dos mais cotados para ser o galã teen da novela. A direção trabalha a todo vapor para estrear a adaptação ainda em janeiro.

Fonte: Terra

Aula de Boni no “Roda Viva”: Reality show é um texto feito pelo candidato imbecil que vai na TV falar asneiras”


O “Roda Viva” desta segunda-feira foi uma verdadeira aula de comunicação, política, história da TV e um programa obrigatório para quem faz (ou diz que faz) televisão. No centro da arena estava José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, um dos mestres desta arte de comunicação em massa, que iniciou sua participação com questionamentos sobre a validade da propaganda política obrigatória. Depois, Boni falou um pouco sobre tudo, passou pela história do veículo de comunicação e abordou a linguagem do reality show, apontada por muitos como a coisa mais inovadora da televisão. Boni foi categórico: “É uma coisa horrorosa, um texto feito pelo candidato imbecil que vai ao programa falar asneiras. Prefiro o texto do Dias Gomes ou do Jorge Amado. O reality show é uma grande mentira, porque não conheço ninguém que viva 3 meses trancado numa casa. Acaba real porque tem o diálogo”. Uma visão coerente de alguém que realizou as melhores produções da televisão brasileira. E, se um dos maiores especialistas em comunicação diz isso, vou questionar? O fato é que muitos diretores de TV, incluindo aqueles que se acham na função, precisam assistir ao que Boni falou no “Roda Viva” para perceber que, na verdade, devem assumir verdadeiramente a responsabilidade do cargo, que é levar ao ar informação, serviço, entretenimento e dramaturgia de qualidade, algo que ajude a transformar o país. Infelizmente, na nova geração são poucos os que pensam assim.


Boni cobrou a renovação necessária na televisão, ousadia dos profissionais, mais qualidade nos textos e mostrou-se meio triste com o atual momento da vida. A explicação para esta tristeza pode estar no que ele assiste diariamente no veículo que ajudou a construir. Se você não assistiu à bela entrevista de Boni no “Roda Viva”, tem mais uma oportunidade. É só clicar no vídeo. Garanto que não vai se arrepender.

-> José Armando Vannucci


Record demite atores e passa por situação complicada

A Rede Record vem descartando alguns atores de seu casting. Essa atitude vem preocupando e, internamente, desconfia-se de alguma coisa pegando.

A atriz Luma Costa não teve seu contrato renovado, assim como aconteceu recentemente com Guilherme Boury.

Situação preocupante, uma vez que, a emissora enfrenta problemas para fechar o elenco de Rebelde.
-> O Planeta TV

"Ninguém fica rico com a Rede Globo", dispara Jayme Matarazzo

Jayme Matarazzo, protagonista de Escrito nas Estrelas, confessou em entrevista ao jornal Folha de São Paulo que ainda não não está rico.

"A última coisa que tô é rico. Ninguém fica rico com a Rede Globo, mas com os trabalhos que faz por causa da Globo [como comerciais, bailes de debutante e presença em eventos]", afirmou o jovem.


O primeiro trabalho de Jayme Matarazzo como ator foi na minissérie "Maysa", sobre a vida da avó. "Maneco [o autor Manoel Carlos] me pediu [para interpretar Monjardim na trama]. Eu não queria que virasse profissão", revelou o ator, que depois foi convidado para protagonizar "A Suprema Felicida", de Arlando Jabor.

Sobre a carreira de ator, Jayme Matarazzo acredita que tudo que aconteceu até agora com ele foi obra do acaso.

"Acredito em destino, em acasos. Olha só: primeiro fiz 'Maysa', uma homenagem ao meu pai. E aí fiz 'A Suprema Felicidade', numa hora em que estava descobrindo uma profissão. Depois, 'Escrito nas Estrelas'. Para pra pensar [nos nomes dos trabalhos]! É brega, mas é lindo", finalizou o ator.

-> O Planeta TV

Débora Duarte: 'Tem oito anos que eu não beijo na boca'

Débora Duarte, que participa da série “Brava gente”, que vai ao ar no Viva, será a convidada do próximo domingo, dia 19, do “Marília Gabriela entrevista”, no GNT. No papo, ela fala sobre as dificuldades que enfrentou no início da sua carreira.

- Quando engravidei, eu quis ficar com minha família e tive que mudar do Rio para São Paulo. Meu maior medo era perder o emprego. Comecei a aprontar para ser demitida. Consegui e comecei a amar meu trabalho a partir daí. Superei um medo - conta.

Débora também revela que passou dez anos de sua vida sem sair de casa no réveillon:

- Não tinha espírito de réveillon. Ficar de camisola vendo a festa na TV é ótimo.


Na entrevista, a apresentadora comenta o fato de Débora estar sozinha, sem um companheiro.

- Tem oito anos que eu não beijo na boca. E me acostumei com isso.

-> Patrícia Kogut

* [Internautas Online no RD1] * anuncie * | * twitter * Página Principal * Notícias * Real Time * RD1 ENT

De acordo com a coluna Zapping, a Record cancelou o concurso 'BoyBand' do "Programa do Gugu".

O motivo? Os baixos índices de audiência e sem a repercussão esperada pela produção do programa e emissora. A Record apostou alto nesse concurso e esperou ao menos uma subida significativa na audiência, o que não aconteceu.

A emissora está estudando uma forma de compensar os candidatos inscritos de alguma forma.

Sansão e Dalila em Janeiro e Record suicida a história

Se a produção da Rede Record com minisséries já não é um primor - A História de Ester que o diga - a estratégia da cúpula da emissora na escolha de datas para a próxima produção bíblica da Casa é de dar inveja a qualquer produtora de fundo de quintal, tamanha a falta de planejamento ou egocentrismo, depende muito do ponto de vista.

Segundo informações do jornalista Daniel Castro, já foi batido o martelo e a próxima minissérie a ser exibida pela Rede da Barra Funda será Sansão e Dalila com um total de 16 capítulos a história será contada durante o mês de janeiro na faixa das 23 horas.

Um equívoco gritante de estratégia. Não é possível que uma emissora aberta de TV injete tanto dinheiro numa produção de dramaturgia - inclusive com elenco de peso, como parece ser o caso - e simplesmente lance um produto numa data como esta. Há quase um ano a Record vem lançando na mídia pistas e pequenas informações sobre esta produção e já deu a entender diversas vezes que aposta alto em faturamento e em audiência para a história.

Mas a escolha da data mostra outro caminho. Em tempos em que o telespectador tem ligado a televisão com menor freqüência do que o habitual - 2010 vem sendo um ano difícil para todas as emissoras no quesito audiência - o único produto que, mesmo perdendo em número para as edições anteriores, manteve-se num patamar considerado satisfatório foi o Big Brother Brasil 10, da Rede Globo.

Para se ter uma idéia da repercussão do BBB, mal abriram as inscrições para a 11ª edição e já houve 15 mil inscritos com uma hora de inscrição aberta, segundo informações da jornalista Patrícia Kogut. Ainda assim, a Rede Record, provando mais uma vez toda sua falta de estratégia ou egocentrismo tanto faz, decide lançar uma minissérie para bater de frente com um dos principais produtos da Rede Globo que, sempre leva vantagem quando a disputa é para agregar telespectador.

É válido o investimento de outras emissoras em dramaturgia e muito mais válido quando o assunto é série e/ou minissérie, pois dá a oportunidade de ter um acabamento maior e, por conta disso, a produção ser mais cuidadosa. Porém, de nada adianta tanto trabalho, tanto investimento, se houver um equívoco na escolha da exibição como aconteceu neste caso. Mesmo que Sansão e Dalila dê um salto de qualidade em relação a primeira produção da Record, vai adiantar muito pouco, já que praticamente ninguém verá e por culpa exclusiva dos executivos da Rede que tomaram mais uma vez uma decisão errada.
-> TV x TV

BONI PAI DÁ SHOW NA TV CULTURA

A entrevista ontem de Boni, o pai, no programa Roda Viva, foi um programa onde o entrevistado respondia suas próprias perguntas, tal a incompetência dos entrevistadores em fazer as perguntas, incluindo aí Marília Gabriela.


Esta senhora conseguiu não fazer uma pergunta sequer de porte ao maior diretor de televisão da história do Brasil.


Pra não falar dos outros entrevistadores, primários, sem base de conhecimento para fazer perguntas ao Boni e que ficavam apenas tentando fazer algum tipo de pergunta sem que conseguissem completar uma frase sequer à altura do entrevistado.


Lamentável levar Boni, o pai, numa entrevista onde a produção demonstrou-se neófita em história da TV e os entrevistadores, todos juntos, não davam um sequer à altura de realizar as perguntas que o povo gostaria de saber a resposta.


Incluindo aí o famoso contrato que Silvio Santos assinou com Boni, mas que, na mesma madrugada da assinatura, Silvio telefonou para Boni pedindo para rasgar o contrato porque ele, Silvio , sabia que não iria respeitar.


O programa não deu nem 1 de ibope, não pelo entrevistado que foi excelente, mas pela situação lamentável da TV Cultura, sem direção e sem planejamento faz tempo.


João Sayad e Fernandinho Vieira de Mello, juntos, foram uma boa dupla de coisa alguma na televisão.

-> James Akel

BONI FOI CONSULTOR FANTASMA DA GLOBO

Boni revelou ontrem que durante muito tempo recebeu salário de consultor da Globo sem nunca ter sido consultado para coisa alguma.


Era uma forma da Globo impedir que Boni fosse trabalhar em outra emissora.

O que ele não contou é que o filho de Roberto Marinho, o Roberto Irineu, foi quem tramou a derrubada de Boni da direção da Globo, por ciúmes de Boni com o pai Roberto.

Desde a saída de Boni, a Globo passou a perder qualidade e acumular dívidas.

-> James Akel

Maria Cândida confirma no twitter que vai ser repórter do Amaury Jr.

Maria Cândida afirma que vai ao Amaury Junior.

RECORD: Faz Maria Cândida descer das alturas à lama em dois tempos.

A apresentadora Maria Candida apresentava um certo programa na Rede Record de nome Tudo a Ver. Era apenas uma colcha de retalhos, cheio de reportagens antes exibidas no jornalístico da casa. Os números de audiência cresceram e o programa passou a exibir pegadinhas americanas inéditas de grandes sucessos.

Logo o programa começou a distribuir prêmios em dinheiro. Não era muito, mas fazia o deixava o telespectador animado em ganhar uma graninha se informar e se divertir com o programa. O programa mudou seu nome para o criativo: “Programa da Tarde. “Um game-show divertidíssimo chamado “Jogo do namoro”, passou a ser exibido e tudo ia às mil maravilhas. Porém a audiência teve uma recaída com as constantes mudanças de horário.

Daí, alguém teve a brilhante ideia de colocar o Olivier Anquier como apresentador do programa, juntamente com a Maria Cândida.O desagrado e o incoforto dos apresentadores era tanto que era visível o constrangimento à quem estava assistido. Retiram o Olivier e transformam o programa em um de debate. Deu erradio novamente.

Eis que outro grande gênio tem a ideia de exibir um Game-Show: O Contratado, que dava um emprego por semana. Chato pra caramba, o programa só arrumou uns 4 empregos. Desde então o programa havia sido tomado por pegadinhas, cassetadas e outras babaquices sem noção e sem graça que nada mais era que um tapa buraco narrado pela apresentadora.

12 mulheres, nova aposta da Record para a apresentadora. Exibida após o show do tom, lá pra meia-noite e lá vai o trem, o programa mostrava as conversas que Maria Cândida tinha com 12 mulheres de 12 países. Interessante projeto, mas não para a tv aberta.

Eis que Amaury vai receber a apresentadora de braços abertos e espere que ela seja reconhecida.

->Egnaldo Júnior / @pontoeg.

Se vale a pena ver de novo porque o público não escolhe?

http://1.bp.blogspot.com/_dk3joYv7v7c/SWVuXsOH8aI/AAAAAAAAALg/-IG59ixoq5Y/s400/nao-vale-a-pena-ver-de-novo.jpg

Uma chance de rever uma novela de sucesso e que conquistou o coração do telespectador. Essa é a proposta do “Vale a Pena Ver de Novo”, exibido nas tardes da Rede Globo, de segunda a sexta-feira, há mais de 25 anos. Curiosamente, a emissora carioca contraria uma tendência que tem ganhado as redes sociais: deixar o público decidir qual atração gostaria de rever. Muitas vezes, a escolha – para quem está de fora, parece sem sentido, pois nem sempre a novela em questão foi um sucesso de audiência, repercussão ou crítica.

Curiosamente, a Globo optou por reprisar a novela “Sete Pecados”, escrita por Walcyr Carrasco e que passou há exatos três anos atrás. A trama teve problemas na audiência e sofreu mudanças para atender a expectativa do público. Não foi um “grande sucesso”como o locutor anuncia e, alguns críticos, arriscam dizer que foi uma das piores tramas do autor.

A pergunta que não quer calar: qual é o critério que a Globo usa para reprisar uma novela? Sorteio? Facilidade para conseguir junto ao governo a classificação livre? Depois de uma maré de mesmice, o “Vale a Pena” tinha encontrado um rumo interessante com as reprises de “Mulheres Apaixonadas”, “Alma Gêmea” e “Senhora do Destino”. Mas aí veio a insossa “Sinhá Moça” e agora uma novela que o público – pelo menos a grande maioria, nem sonhava com a reprise, pelo menos agora.

Na internet, os noveleiros de plantão torcem pela reprise de “O Clone”, “Belíssima”, “Celebridade”, “Estrela Guia”, “O Beijo do Vampiro”, “A Favorita”, “Cobras e Lagartos”, “Um anjo caiu do Céu”, sem contar em outros títulos da década de 1990 que mereciam ser reprisados. Qual é a graça de rever uma novela que passou há menos de cinco anos atrás e não foi um grande sucesso? Escolhas equivocadas como essa, mostram o buraco que a TV aberta está cavando, do qual será difícil sair.

A TV precisa ouvir mais o público: prestar mais atenção nas pessoas, e não nos números de audiência. Não é a toa que o canal “Viva”, na TV Paga, já nasceu embalado pelo sucesso das reprises – apesar das inúmeras críticas quanto ao horário dessas repetições. No mais, se pararmos para pensar, não são apenas as novelas que merecem ser reprisadas: programas, jornalísticos, séries, minisséries e filmes também deveriam entrar na roda.

A TV aberta investe pouco nas reprises. Já pensou que bom seria se o horário vespertino fosse de reprises das principais atrações do horário nobre, por exemplo? Não deixa de ser uma ideia, quem sabe. Afinal, daqui a pouco, do jeito que a coisa anda, vai ficar difícil saber qual será a atração que, realmente, valha a pena ver de novo.

-> Blog Cena aberta

“Se a Globo me contratasse, eu faria um programa fantástico”, diz Ratinho

http://www.tvaudiencia.net/wp-content/uploads/2009/12/Ratinho-na-Coletiva.jpg

O apresentador do “Programa do Ratinho” no SBT, Carlos Massa, está cansado do estigma de popularesco e polêmico, mas reconhece que foi esse estilo de programa que impulsionou sua carreira na televisão na década de 1990. Além disso, Ratinho atesta que programas com formato mais popular não vão deixar de fazer sucesso no Brasil.

“Ele [jornalismo popular] vai continuar existindo porque você não muda a cultura e o modo de viver das pessoas. O Luciano Huck é um popular sofisticado, um caminho que a Globo achou para enfeitar. Se a Globo me contratasse eu faria um programa fantástico.

Eu não estou pedindo emprego na Globo porque estou ganhando bem aqui, mas se a Globo contratasse um Ratinho em um programa popular com toda a estrutura que ela tem…”, avalia o apresentador à IMPRENSA em entrevista concedida para a edição temática de TV de setembro.

Apesar de acreditar nesse modelo de programa, Ratinho diferencia o popular do sensacionalismo e acha que há um certo exagero na quantidade de notícias ruins veiculadas e na abordagem de alguns assuntos polêmicos. “Eu acho que sensacionalismo é tudo o que chama atenção acima do limite.

O caso Bruno, seja feito por nós, seja feito pelo Datena ou pela revista Veja é sensacionalismo. Pra mim esses casos são o sensacionalismo que são praticado por todos os veículos”, diz.

Esses dias eu entrevistei o Guilherme de Pádua aqui no programa e pronto, um monte de veículo me criticou. A revista Veja fez a mesma coisa que eu nessa semana e eu não vi ninguém bater na revista Veja. É aquele tipo de coisa, esse pode aquele não pode, isso eu não aceito”, finaliza.

Fonte: Portal IMPRENSA

Algumas prévias desta segunda (13/09/10)

Record

CSI

:globo: 34.4
:record: 8.9

Fala Brasil
:record: 7.5
:globo: 6.7
:sbt: 3.2

Hoje em Dia
:globo: 8.6
:record: :sbt: 4.4

Globo

Passione

:globo: 35.2
:record: 8.6

Jornal Nacional
:globo: 28.3
:record: 8.9

Mais Você
:record: 7.6
:globo: 6.7
:sbt: 3.4

TV Globinho
:globo: 8.8
:sbt: 4.8
:record: 4.6

Jornal Hoje
:globo: 10.5
:record: 6.6
:sbt: 5.9
:band: 4.1

Vídeo Show
:globo: 7.4
:record: 5.8
:sbt: 4.8

Sessão da Tarde
:globo: 13.2
:record: :sbt: 3.7
:cultura: 1.9
:redetv: 1.7
:band: 1.5

Jornal Nacional

:globo: 28.3
:record: 8.9

SBT

Bom dia e Companhia
:globo: 8.8
:record: 4.6
:sbt: 4.5